Descrição do Projeto

FGV Candelária – Edifício Octávio Gouvêa de Bulhões

Edifício originalmente sede do Banco Francês & Italiano, à rua da

Candelária nº 6 – Centro RJ, em estilo eclético de 1924, projeto do arquiteto francês G. Marmorat, obra da Construtora Monteiro & Aranha.

Hoje situado em área de proteção do Corredor Cultural, passou por importante processo de revitalização, visando requalifica-lo para atender ao complexo de ensino da Fundação Getúlio Vargas, seu atual proprietário.

A remoção de uma laje não original que isolava o andar térreo do prisma central de ventilação trouxe a luz natural para dentro do prédio, revelando um único, claro e amplo espaço vertical, de onde o conjunto arquitetônico pode ser observado em um só lance de olhar, a partir do saguão até uma nova claraboia, instalada em seu topo. Ancorando este espaço, dois elevadores panorâmicos de última geração dinamizam a circulação vertical , enfatizando sua monumentalidade.

Atendendo ao extenso programa , que pedia dez salas de aula,estúdio de TV (FGV OnLine), secretarias, livraria, biblioteca etc, foi projetado um espaçoso mezzanino , que funciona como um lounge elevado e subdivide verticalmente parte do amplo saguão. Em moderna estrutura metálica, ele “flutua” entre as colunas originais, sem no entanto toca-las. Um sistema de ar condicionado insuflado pelo seu piso deixou todo o teto livre de dutos, propiciando a recaptura da atmosfera original daquele espaço, com a recuperação das sancas e capitéis ali existentes.

Os altos pés-direitos dos pavimentos foram decisivos na adequação

do prédio às novas tecnologias, por permitirem a criação de Pavimentos

Mecânicos intermediários, ocultos nas áreas sobre os sanitários, acomodando os diversos sistemas e equipamentos, indispensáveis ao funcionamento e conforto modernos.